Arquivos de Categoria: Gestão Pública

Nesta disciplina você pode perceber como intervenções inovadoras podem ser efetivas para o diagnóstico e a intervenção psicopedagógica. Entre os recursos que podemos utilizar em nossa prática, encontram-se os jogos digitais que possibilitam visualizar as dificuldades da criança em relação algum aspecto de seu desenvolvimento.

Nesta disciplina você pode perceber como intervenções inovadoras podem ser efetivas para o diagnóstico e a intervenção psicopedagógica. Entre os recursos que podemos utilizar em nossa prática, encontram-se os jogos digitais que possibilitam visualizar as dificuldades da criança em relação algum aspecto de seu desenvolvimento.

 

Vamos supor que você atua em uma clínica multidisciplinar e deverá realizar o atendimento de uma criança, matriculada no 2° ano do ensino fundamental, cuja a queixa da família relaciona-se a dificuldade no aprendizado dos conteúdos da área da matemática. Para realizar o diagnóstico psicopedagógico, entre os testes elencados, você opta por realizar um jogo digital com a criança.

 

Sendo assim, nesta atividade MAPA você deverá elaborar um jogo, que pode ser utilizado para a avaliação da mentalidade matemática de uma criança de 7 anos de idade. Você deve elaborar o jogo tendo como objetivo a avaliação da mentalidade matemática do aluno.

 

Você pode utilizar qualquer ferramenta digital para elaborar o jogo, porém, orientamos que utilize a plataforma Wordwall ( https://wordwall.net/pt). Para saber mais a respeito de como utilizar a plataforma para criar um jogo, sugiro que acesse o vídeo tutorial a seguir: https://www.youtube.com/watch?v=lcC2zTjJb6k

 

Após a elaboração do jogo, você deverá:

1- Inserir uma foto do layout do jogo produzido

2- Responder as questões abaixo (mínimo de 15 linhas e máximo 20 linhas no total):

  1. a) Como pensou na estruturação do jogo
  2. b) Como o jogo pode possibilitar a avaliação da mentalidade matemática de uma criança na faixa etária de 7 anos.

 

ATENÇÃO:

* Faça o download do FORMULÁRIO PADRÃO (localizado no ícone MATERIAL DA DISCIPLINA em seu Studeo), realize a atividade neste arquivo e em seguida faça o envio.

* Certifique-se de que está enviando o arquivo correto, antes de clicar em “finalizar”, pois haverá uma única oportunidade de envio e não serão aceitos trabalhos por outro canal, apenas pelo campo específico de envio.

* Acesse a Sala do Café, lá foram disponibilizadas orientações detalhadas para realização desta atividade, dentre elas um vídeo da professora com orientações de como realizar o MAPA.

* Se houver dúvidas, escreva uma mensagem no Fórum MOMENTO TIRA-DÚVIDAS DO MAPA.

 

Bons estudos!

Olá, somos a Prime Educacional!

Nossa equipe é composta por profissionais especializados em diversas áreas, o que nos permite oferecer uma assessoria completa na elaboração de uma ampla variedade de atividades. Estamos empenhados em garantir a autenticidade e originalidade de todos os trabalhos que realizamos.

Ficaríamos muito satisfeitos em poder ajudar você. Entre em contato conosco para solicitar o seu serviço.

Aponte o celular para abrir o WhatsApp

ou clique aqui

Os jogos eletrônicos, video games e tablets, principalmente, vêm ganhando destaque ao longo dos anos e se tornando os favoritos das crianças. […] A possibilidade de identificar alguns tipos de comportamentos e patologias através de uma ferramenta que atrai o sujeito, principalmente no caso das crianças, que em geral costumam ter facilidade e preferência por esses itens, pode ser de muita valia para o andamento do processo, além de servir como uma boa forma de estabelecer vínculo com o indivíduo.

Os jogos eletrônicos, video games e tablets, principalmente, vêm ganhando destaque ao longo dos anos e se tornando os favoritos das crianças. […] A possibilidade de identificar alguns tipos de comportamentos e patologias através de uma ferramenta que atrai o sujeito, principalmente no caso das crianças, que em geral costumam ter facilidade e preferência por esses itens, pode ser de muita valia para o andamento do processo, além de servir como uma boa forma de estabelecer vínculo com o indivíduo.

LEITE, Renata Franco. Caixa lúdica e novas tecnologias. Estudos de Psicanálise, n. 45, p. 145-148, 2016.

 

Nesta disciplina você pode perceber como intervenções inovadoras podem ser efetivas para o diagnóstico e a intervenção psicopedagógica. Entre os recursos que podemos utilizar em nossa prática, encontram-se os jogos digitais que possibilitam visualizar as dificuldades da criança em relação algum aspecto de seu desenvolvimento.

 

Vamos supor que você atua em uma clínica multidisciplinar e deverá realizar o atendimento de uma criança, matriculada no 2° ano do ensino fundamental, cuja a queixa da família relaciona-se a dificuldade no aprendizado dos conteúdos da área da matemática. Para realizar o diagnóstico psicopedagógico, entre os testes elencados, você opta por realizar um jogo digital com a criança.

 

Sendo assim, nesta atividade MAPA você deverá elaborar um jogo, que pode ser utilizado para a avaliação da mentalidade matemática de uma criança de 7 anos de idade. Você deve elaborar o jogo tendo como objetivo a avaliação da mentalidade matemática do aluno.

 

Você pode utilizar qualquer ferramenta digital para elaborar o jogo, porém, orientamos que utilize a plataforma Wordwall ( https://wordwall.net/pt). Para saber mais a respeito de como utilizar a plataforma para criar um jogo, sugiro que acesse o vídeo tutorial a seguir: https://www.youtube.com/watch?v=lcC2zTjJb6k

 

Após a elaboração do jogo, você deverá:

1- Inserir uma foto do layout do jogo produzido

2- Responder as questões abaixo (mínimo de 15 linhas e máximo 20 linhas no total):

  1. a) Como pensou na estruturação do jogo
  2. b) Como o jogo pode possibilitar a avaliação da mentalidade matemática de uma criança na faixa etária de 7 anos.

 

ATENÇÃO:

* Faça o download do FORMULÁRIO PADRÃO (localizado no ícone MATERIAL DA DISCIPLINA em seu Studeo), realize a atividade neste arquivo e em seguida faça o envio.

* Certifique-se de que está enviando o arquivo correto, antes de clicar em “finalizar”, pois haverá uma única oportunidade de envio e não serão aceitos trabalhos por outro canal, apenas pelo campo específico de envio.

* Acesse a Sala do Café, lá foram disponibilizadas orientações detalhadas para realização desta atividade, dentre elas um vídeo da professora com orientações de como realizar o MAPA.

* Se houver dúvidas, escreva uma mensagem no Fórum MOMENTO TIRA-DÚVIDAS DO MAPA.

 

Bons estudos!

Leia os trechos a seguir: Quando a criança ou o adolescente inicia o atendimento psicopedagógico, é comum que tenha dificuldades de expor seus problemas, expressar suas dificuldades por acumular sentimentos de insegurança sobre si mesmo e sobre sua performance, mas com a utilização de jogos, brincadeiras, histórias, desenhos, modelagens, colagens, pinturas, entre outras tantas possibilidades, a intervenção é facilmente aderida.

MAPA – PSICO – INTERVENÇÕES INOVADORAS NA PSICOPEDAGOGIA EM DIFERENTES CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM – 52_2024

 

Leia os trechos a seguir:

Quando a criança ou o adolescente inicia o atendimento psicopedagógico, é comum que tenha dificuldades de expor seus problemas, expressar suas dificuldades por acumular sentimentos de insegurança sobre si mesmo e sobre sua performance, mas com a utilização de jogos, brincadeiras, histórias, desenhos, modelagens, colagens, pinturas, entre outras tantas possibilidades, a intervenção é facilmente aderida.

DAROS. Thuinie Medeiros Vilela. Intervenções Inovadoras na Psicopedagogia em Diferentes Contextos de Aprendizagem. Maringá – PR.: UniCesumar, 2020. Reimpresso 2021.

 

Os jogos eletrônicos, video games e tablets, principalmente, vêm ganhando destaque ao longo dos anos e se tornando os favoritos das crianças. […] A possibilidade de identificar alguns tipos de comportamentos e patologias através de uma ferramenta que atrai o sujeito, principalmente no caso das crianças, que em geral costumam ter facilidade e preferência por esses itens, pode ser de muita valia para o andamento do processo, além de servir como uma boa forma de estabelecer vínculo com o indivíduo.

LEITE, Renata Franco. Caixa lúdica e novas tecnologias. Estudos de Psicanálise, n. 45, p. 145-148, 2016.

 

Nesta disciplina você pode perceber como intervenções inovadoras podem ser efetivas para o diagnóstico e a intervenção psicopedagógica. Entre os recursos que podemos utilizar em nossa prática, encontram-se os jogos digitais que possibilitam visualizar as dificuldades da criança em relação algum aspecto de seu desenvolvimento.

 

Vamos supor que você atua em uma clínica multidisciplinar e deverá realizar o atendimento de uma criança, matriculada no 2° ano do ensino fundamental, cuja a queixa da família relaciona-se a dificuldade no aprendizado dos conteúdos da área da matemática. Para realizar o diagnóstico psicopedagógico, entre os testes elencados, você opta por realizar um jogo digital com a criança.

 

Sendo assim, nesta atividade MAPA você deverá elaborar um jogo, que pode ser utilizado para a avaliação da mentalidade matemática de uma criança de 7 anos de idade. Você deve elaborar o jogo tendo como objetivo a avaliação da mentalidade matemática do aluno.

 

Você pode utilizar qualquer ferramenta digital para elaborar o jogo, porém, orientamos que utilize a plataforma Wordwall ( https://wordwall.net/pt). Para saber mais a respeito de como utilizar a plataforma para criar um jogo, sugiro que acesse o vídeo tutorial a seguir: https://www.youtube.com/watch?v=lcC2zTjJb6k

 

Após a elaboração do jogo, você deverá:

1- Inserir uma foto do layout do jogo produzido

2- Responder as questões abaixo (mínimo de 15 linhas e máximo 20 linhas no total):

  1. a) Como pensou na estruturação do jogo
  2. b) Como o jogo pode possibilitar a avaliação da mentalidade matemática de uma criança na faixa etária de 7 anos.

 

ATENÇÃO:

* Faça o download do FORMULÁRIO PADRÃO (localizado no ícone MATERIAL DA DISCIPLINA em seu Studeo), realize a atividade neste arquivo e em seguida faça o envio.

* Certifique-se de que está enviando o arquivo correto, antes de clicar em “finalizar”, pois haverá uma única oportunidade de envio e não serão aceitos trabalhos por outro canal, apenas pelo campo específico de envio.

* Acesse a Sala do Café, lá foram disponibilizadas orientações detalhadas para realização desta atividade, dentre elas um vídeo da professora com orientações de como realizar o MAPA.

* Se houver dúvidas, escreva uma mensagem no Fórum MOMENTO TIRA-DÚVIDAS DO MAPA.

 

Bons estudos!

 

3- Diante da questão da insegurança alimentar, destaque um tipo de metodologia e estratégia de coleta de dados que poderá ser utilizada para auxiliar o gestor público a resolver e/ou amenizar tal situação, no intuito de promover políticas que possam garantir o direito à alimentação adequada.

3- Diante da questão da insegurança alimentar, destaque um tipo de metodologia e estratégia de coleta de dados que poderá ser utilizada para auxiliar o gestor público a resolver e/ou amenizar tal situação, no intuito de promover políticas que possam garantir o direito à alimentação adequada.

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

 

2- O autor identifica dois tipos de fome no Brasil, apontando para a situação das distintas regiões do país. Tendo em vista os dados apresentados, que em 2022 o Brasil voltou ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014, podemos inferir, com base no texto, qual seria o tipo de fome no Brasil atualmente?

2- O autor identifica dois tipos de fome no Brasil, apontando para a situação das distintas regiões do país. Tendo em vista os dados apresentados, que em 2022 o Brasil voltou ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014, podemos inferir, com base no texto, qual seria o tipo de fome no Brasil atualmente?

 

3- Diante da questão da insegurança alimentar, destaque um tipo de metodologia e estratégia de coleta de dados que poderá ser utilizada para auxiliar o gestor público a resolver e/ou amenizar tal situação, no intuito de promover políticas que possam garantir o direito à alimentação adequada.

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

 

Diante desse quadro, e da responsabilidade do Gestor Público na garantia ao Direito Humano de uma alimentação adequada, levando ainda em conta o texto apresentado e o material didático da disciplina, responda às questões a seguir: 1- Josué de Castro foi inovador em sua abordagem. Nesse sentido, qual foi o tipo de pesquisa desenvolvida por ele para compreender a desnutrição no país?

Diante desse quadro, e da responsabilidade do Gestor Público na garantia ao Direito Humano de uma alimentação adequada, levando ainda em conta o texto apresentado e o material didático da disciplina, responda às questões a seguir:

 

1- Josué de Castro foi inovador em sua abordagem. Nesse sentido, qual foi o tipo de pesquisa desenvolvida por ele para compreender a desnutrição no país?

 

2- O autor identifica dois tipos de fome no Brasil, apontando para a situação das distintas regiões do país. Tendo em vista os dados apresentados, que em 2022 o Brasil voltou ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014, podemos inferir, com base no texto, qual seria o tipo de fome no Brasil atualmente?

 

3- Diante da questão da insegurança alimentar, destaque um tipo de metodologia e estratégia de coleta de dados que poderá ser utilizada para auxiliar o gestor público a resolver e/ou amenizar tal situação, no intuito de promover políticas que possam garantir o direito à alimentação adequada.

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

#Mão na massa# Considerando o excerto apresentado para a atividade MAPA, propomos um desafio, que é o de analisar como a questão da insegurança alimentar constitui-se um problema persistente em nosso país, pois após 50 anos do estudo de Josué Castro o Brasil ainda possui o equivalente a 15% da população vivendo em insegurança alimentar grave.

#Mão na massa#

Considerando o excerto apresentado para a atividade MAPA, propomos um desafio, que é o de analisar como a questão da insegurança alimentar constitui-se um problema persistente em nosso país, pois após 50 anos do estudo de Josué Castro o Brasil ainda possui o equivalente a 15% da população vivendo em insegurança alimentar grave.

 

Diante desse quadro, e da responsabilidade do Gestor Público na garantia ao Direito Humano de uma alimentação adequada, levando ainda em conta o texto apresentado e o material didático da disciplina, responda às questões a seguir:

 

1- Josué de Castro foi inovador em sua abordagem. Nesse sentido, qual foi o tipo de pesquisa desenvolvida por ele para compreender a desnutrição no país?

 

2- O autor identifica dois tipos de fome no Brasil, apontando para a situação das distintas regiões do país. Tendo em vista os dados apresentados, que em 2022 o Brasil voltou ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014, podemos inferir, com base no texto, qual seria o tipo de fome no Brasil atualmente?

 

3- Diante da questão da insegurança alimentar, destaque um tipo de metodologia e estratégia de coleta de dados que poderá ser utilizada para auxiliar o gestor público a resolver e/ou amenizar tal situação, no intuito de promover políticas que possam garantir o direito à alimentação adequada.

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

 

# Novas descobertas # Desde 2006, o Brasil possui o Sistema de Segurança Alimentar Nutricional (SISAN, Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006), que prescreve que deve haver garantia de que todos tenham acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais. É dever o Estado garantir o Direito Humano à Alimentação Adequada.

# Novas descobertas #

Desde 2006, o Brasil possui o Sistema de Segurança Alimentar Nutricional (SISAN, Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006), que prescreve que deve haver garantia de que todos tenham acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais. É dever o Estado garantir o Direito Humano à Alimentação Adequada.

 

#Mão na massa#

Considerando o excerto apresentado para a atividade MAPA, propomos um desafio, que é o de analisar como a questão da insegurança alimentar constitui-se um problema persistente em nosso país, pois após 50 anos do estudo de Josué Castro o Brasil ainda possui o equivalente a 15% da população vivendo em insegurança alimentar grave.

 

Diante desse quadro, e da responsabilidade do Gestor Público na garantia ao Direito Humano de uma alimentação adequada, levando ainda em conta o texto apresentado e o material didático da disciplina, responda às questões a seguir:

 

1- Josué de Castro foi inovador em sua abordagem. Nesse sentido, qual foi o tipo de pesquisa desenvolvida por ele para compreender a desnutrição no país?

 

2- O autor identifica dois tipos de fome no Brasil, apontando para a situação das distintas regiões do país. Tendo em vista os dados apresentados, que em 2022 o Brasil voltou ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014, podemos inferir, com base no texto, qual seria o tipo de fome no Brasil atualmente?

 

3- Diante da questão da insegurança alimentar, destaque um tipo de metodologia e estratégia de coleta de dados que poderá ser utilizada para auxiliar o gestor público a resolver e/ou amenizar tal situação, no intuito de promover políticas que possam garantir o direito à alimentação adequada.

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

Em Geografia da fome, logo premiado pela Associação Brasileira de Escritores e pela Academia Brasileira de Letras, Castro divide o Brasil em cinco regiões geográficas, de acordo com a dieta e a eventual carência de proteínas e vitaminas (ver mapas).”

 

Em Geografia da fome, logo premiado pela Associação Brasileira de Escritores e pela Academia Brasileira de Letras, Castro divide o Brasil em cinco regiões geográficas, de acordo com a dieta e a eventual carência de proteínas e vitaminas (ver mapas).”

 

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome. Acesso em: 6 abr. 2023.

#Explorando dados#

Imagem: mapas da fome

Figura 1 – Mapas publicados no livro Geografia da Fome sobre a situação Alimentar do Brasil em 1940, de autoria de Josué Apolônio de Castro

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome/. Acesso em: 29 mar. 2023.

 

# Novas descobertas #

Desde 2006, o Brasil possui o Sistema de Segurança Alimentar Nutricional (SISAN, Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006), que prescreve que deve haver garantia de que todos tenham acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais. É dever o Estado garantir o Direito Humano à Alimentação Adequada.

 

#Mão na massa#

Considerando o excerto apresentado para a atividade MAPA, propomos um desafio, que é o de analisar como a questão da insegurança alimentar constitui-se um problema persistente em nosso país, pois após 50 anos do estudo de Josué Castro o Brasil ainda possui o equivalente a 15% da população vivendo em insegurança alimentar grave.

 

Diante desse quadro, e da responsabilidade do Gestor Público na garantia ao Direito Humano de uma alimentação adequada, levando ainda em conta o texto apresentado e o material didático da disciplina, responda às questões a seguir:

 

1- Josué de Castro foi inovador em sua abordagem. Nesse sentido, qual foi o tipo de pesquisa desenvolvida por ele para compreender a desnutrição no país?

 

2- O autor identifica dois tipos de fome no Brasil, apontando para a situação das distintas regiões do país. Tendo em vista os dados apresentados, que em 2022 o Brasil voltou ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014, podemos inferir, com base no texto, qual seria o tipo de fome no Brasil atualmente?

 

3- Diante da questão da insegurança alimentar, destaque um tipo de metodologia e estratégia de coleta de dados que poderá ser utilizada para auxiliar o gestor público a resolver e/ou amenizar tal situação, no intuito de promover políticas que possam garantir o direito à alimentação adequada.

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

Seus estudos culminaram em seu livro mais conhecido, Geografia da fome. Publicado em 1946, “é considerada uma obra de denúncia do flagelo da fome no Brasil”, sintetiza o historiador Helder Remigio de Amorim, da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), em sua tese de doutorado, defendida em 2016 na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que deve ser publicada como livro neste ano.

Seus estudos culminaram em seu livro mais conhecido, Geografia da fome. Publicado em 1946, “é considerada uma obra de denúncia do flagelo da fome no Brasil”, sintetiza o historiador Helder Remigio de Amorim, da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), em sua tese de doutorado, defendida em 2016 na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que deve ser publicada como livro neste ano.

 

Em Geografia da fome, logo premiado pela Associação Brasileira de Escritores e pela Academia Brasileira de Letras, Castro divide o Brasil em cinco regiões geográficas, de acordo com a dieta e a eventual carência de proteínas e vitaminas (ver mapas).”

 

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome. Acesso em: 6 abr. 2023.

#Explorando dados#

Imagem: mapas da fome

Figura 1 – Mapas publicados no livro Geografia da Fome sobre a situação Alimentar do Brasil em 1940, de autoria de Josué Apolônio de Castro

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome/. Acesso em: 29 mar. 2023.

 

# Novas descobertas #

Desde 2006, o Brasil possui o Sistema de Segurança Alimentar Nutricional (SISAN, Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006), que prescreve que deve haver garantia de que todos tenham acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais. É dever o Estado garantir o Direito Humano à Alimentação Adequada.

 

#Mão na massa#

Considerando o excerto apresentado para a atividade MAPA, propomos um desafio, que é o de analisar como a questão da insegurança alimentar constitui-se um problema persistente em nosso país, pois após 50 anos do estudo de Josué Castro o Brasil ainda possui o equivalente a 15% da população vivendo em insegurança alimentar grave.

 

Diante desse quadro, e da responsabilidade do Gestor Público na garantia ao Direito Humano de uma alimentação adequada, levando ainda em conta o texto apresentado e o material didático da disciplina, responda às questões a seguir:

 

1- Josué de Castro foi inovador em sua abordagem. Nesse sentido, qual foi o tipo de pesquisa desenvolvida por ele para compreender a desnutrição no país?

 

2- O autor identifica dois tipos de fome no Brasil, apontando para a situação das distintas regiões do país. Tendo em vista os dados apresentados, que em 2022 o Brasil voltou ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014, podemos inferir, com base no texto, qual seria o tipo de fome no Brasil atualmente?

 

3- Diante da questão da insegurança alimentar, destaque um tipo de metodologia e estratégia de coleta de dados que poderá ser utilizada para auxiliar o gestor público a resolver e/ou amenizar tal situação, no intuito de promover políticas que possam garantir o direito à alimentação adequada.

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

Com base em sua experiência pessoal – viu a fome de perto quando era criança nos manguezais da cidade do Recife, onde nasceu –, em estudos que começavam a propor abordagens mais amplas do problema e em suas próprias pesquisas de campo, Castro examinou a fome à luz da medicina, da fisiologia, da nutrição e da geografia. Sua conclusão é que se tratava de um fenômeno biológico enraizado em estruturas sociais, políticas e econômicas. O médico identificou dois tipos de fome: a epidêmica, associada às guerras ou a secas, que provocam a escassez de alimentos; e a endêmica, até então desconsiderada, quando uma alimentação é precária e, por não fornecer os nutrientes indispensáveis para o funcionamento adequado do organismo, favorece o surgimento de doenças.

Com base em sua experiência pessoal – viu a fome de perto quando era criança nos manguezais da cidade do Recife, onde nasceu –, em estudos que começavam a propor abordagens mais amplas do problema e em suas próprias pesquisas de campo, Castro examinou a fome à luz da medicina, da fisiologia, da nutrição e da geografia. Sua conclusão é que se tratava de um fenômeno biológico enraizado em estruturas sociais, políticas e econômicas. O médico identificou dois tipos de fome: a epidêmica, associada às guerras ou a secas, que provocam a escassez de alimentos; e a endêmica, até então desconsiderada, quando uma alimentação é precária e, por não fornecer os nutrientes indispensáveis para o funcionamento adequado do organismo, favorece o surgimento de doenças.

 

Seus estudos culminaram em seu livro mais conhecido, Geografia da fome. Publicado em 1946, “é considerada uma obra de denúncia do flagelo da fome no Brasil”, sintetiza o historiador Helder Remigio de Amorim, da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), em sua tese de doutorado, defendida em 2016 na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que deve ser publicada como livro neste ano.

 

Em Geografia da fome, logo premiado pela Associação Brasileira de Escritores e pela Academia Brasileira de Letras, Castro divide o Brasil em cinco regiões geográficas, de acordo com a dieta e a eventual carência de proteínas e vitaminas (ver mapas).”

 

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome. Acesso em: 6 abr. 2023.

#Explorando dados#

Imagem: mapas da fome

Figura 1 – Mapas publicados no livro Geografia da Fome sobre a situação Alimentar do Brasil em 1940, de autoria de Josué Apolônio de Castro

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome/. Acesso em: 29 mar. 2023.

 

# Novas descobertas #

Desde 2006, o Brasil possui o Sistema de Segurança Alimentar Nutricional (SISAN, Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006), que prescreve que deve haver garantia de que todos tenham acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais. É dever o Estado garantir o Direito Humano à Alimentação Adequada.

 

#Mão na massa#

Considerando o excerto apresentado para a atividade MAPA, propomos um desafio, que é o de analisar como a questão da insegurança alimentar constitui-se um problema persistente em nosso país, pois após 50 anos do estudo de Josué Castro o Brasil ainda possui o equivalente a 15% da população vivendo em insegurança alimentar grave.

 

Diante desse quadro, e da responsabilidade do Gestor Público na garantia ao Direito Humano de uma alimentação adequada, levando ainda em conta o texto apresentado e o material didático da disciplina, responda às questões a seguir:

 

1- Josué de Castro foi inovador em sua abordagem. Nesse sentido, qual foi o tipo de pesquisa desenvolvida por ele para compreender a desnutrição no país?

 

2- O autor identifica dois tipos de fome no Brasil, apontando para a situação das distintas regiões do país. Tendo em vista os dados apresentados, que em 2022 o Brasil voltou ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014, podemos inferir, com base no texto, qual seria o tipo de fome no Brasil atualmente?

 

3- Diante da questão da insegurança alimentar, destaque um tipo de metodologia e estratégia de coleta de dados que poderá ser utilizada para auxiliar o gestor público a resolver e/ou amenizar tal situação, no intuito de promover políticas que possam garantir o direito à alimentação adequada.

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

Josué de Castro mostrou que a fome não é inevitável, resultado do crescimento da população, da guerra ou de catástrofes climáticas. Ele inovou ao aprofundar a análise das causas sociais e econômicas da fome, até então retratada como algo episódico em jornais e romances do começo do século XX.

Josué de Castro mostrou que a fome não é inevitável, resultado do crescimento da população, da guerra ou de catástrofes climáticas. Ele inovou ao aprofundar a análise das causas sociais e econômicas da fome, até então retratada como algo episódico em jornais e romances do começo do século XX.

 

Com base em sua experiência pessoal – viu a fome de perto quando era criança nos manguezais da cidade do Recife, onde nasceu –, em estudos que começavam a propor abordagens mais amplas do problema e em suas próprias pesquisas de campo, Castro examinou a fome à luz da medicina, da fisiologia, da nutrição e da geografia. Sua conclusão é que se tratava de um fenômeno biológico enraizado em estruturas sociais, políticas e econômicas. O médico identificou dois tipos de fome: a epidêmica, associada às guerras ou a secas, que provocam a escassez de alimentos; e a endêmica, até então desconsiderada, quando uma alimentação é precária e, por não fornecer os nutrientes indispensáveis para o funcionamento adequado do organismo, favorece o surgimento de doenças.

 

Seus estudos culminaram em seu livro mais conhecido, Geografia da fome. Publicado em 1946, “é considerada uma obra de denúncia do flagelo da fome no Brasil”, sintetiza o historiador Helder Remigio de Amorim, da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), em sua tese de doutorado, defendida em 2016 na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que deve ser publicada como livro neste ano.

 

Em Geografia da fome, logo premiado pela Associação Brasileira de Escritores e pela Academia Brasileira de Letras, Castro divide o Brasil em cinco regiões geográficas, de acordo com a dieta e a eventual carência de proteínas e vitaminas (ver mapas).”

 

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome. Acesso em: 6 abr. 2023.

#Explorando dados#

Imagem: mapas da fome

Figura 1 – Mapas publicados no livro Geografia da Fome sobre a situação Alimentar do Brasil em 1940, de autoria de Josué Apolônio de Castro

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome/. Acesso em: 29 mar. 2023.

 

# Novas descobertas #

Desde 2006, o Brasil possui o Sistema de Segurança Alimentar Nutricional (SISAN, Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006), que prescreve que deve haver garantia de que todos tenham acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais. É dever o Estado garantir o Direito Humano à Alimentação Adequada.

 

#Mão na massa#

Considerando o excerto apresentado para a atividade MAPA, propomos um desafio, que é o de analisar como a questão da insegurança alimentar constitui-se um problema persistente em nosso país, pois após 50 anos do estudo de Josué Castro o Brasil ainda possui o equivalente a 15% da população vivendo em insegurança alimentar grave.

 

Diante desse quadro, e da responsabilidade do Gestor Público na garantia ao Direito Humano de uma alimentação adequada, levando ainda em conta o texto apresentado e o material didático da disciplina, responda às questões a seguir:

 

1- Josué de Castro foi inovador em sua abordagem. Nesse sentido, qual foi o tipo de pesquisa desenvolvida por ele para compreender a desnutrição no país?

 

2- O autor identifica dois tipos de fome no Brasil, apontando para a situação das distintas regiões do país. Tendo em vista os dados apresentados, que em 2022 o Brasil voltou ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014, podemos inferir, com base no texto, qual seria o tipo de fome no Brasil atualmente?

 

3- Diante da questão da insegurança alimentar, destaque um tipo de metodologia e estratégia de coleta de dados que poderá ser utilizada para auxiliar o gestor público a resolver e/ou amenizar tal situação, no intuito de promover políticas que possam garantir o direito à alimentação adequada.

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

“Título: As Raízes da Fome – Josué de Castro expos as bases econômicas, sociais e biológicas da desnutrição contínua Quase 50 anos após a morte do médico pernambucano Josué Apolônio de Castro (1908-1973), que identificou as raízes mais profundas da desnutrição, o Brasil voltou em 2022 ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014. No país, 33 milhões de pessoas, o equivalente a 15% da população, vivem a chamada insegurança alimentar grave – quando uma pessoa passa fome por não ter dinheiro para comprar comida. Outros 33 milhões vivem uma insegurança alimentar moderada, por não terem quantidade suficiente de comida. Menos da metade da população desfruta de uma segurança alimentar plena, sabendo que terá alimentos em quantidade e qualidade satisfatórias nos dias seguintes.

“Título: As Raízes da Fome – Josué de Castro expos as bases econômicas, sociais e biológicas da desnutrição contínua

Quase 50 anos após a morte do médico pernambucano Josué Apolônio de Castro (1908-1973), que identificou as raízes mais profundas da desnutrição, o Brasil voltou em 2022 ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014. No país, 33 milhões de pessoas, o equivalente a 15% da população, vivem a chamada insegurança alimentar grave – quando uma pessoa passa fome por não ter dinheiro para comprar comida. Outros 33 milhões vivem uma insegurança alimentar moderada, por não terem quantidade suficiente de comida. Menos da metade da população desfruta de uma segurança alimentar plena, sabendo que terá alimentos em quantidade e qualidade satisfatórias nos dias seguintes.

 

Josué de Castro mostrou que a fome não é inevitável, resultado do crescimento da população, da guerra ou de catástrofes climáticas. Ele inovou ao aprofundar a análise das causas sociais e econômicas da fome, até então retratada como algo episódico em jornais e romances do começo do século XX.

 

Com base em sua experiência pessoal – viu a fome de perto quando era criança nos manguezais da cidade do Recife, onde nasceu –, em estudos que começavam a propor abordagens mais amplas do problema e em suas próprias pesquisas de campo, Castro examinou a fome à luz da medicina, da fisiologia, da nutrição e da geografia. Sua conclusão é que se tratava de um fenômeno biológico enraizado em estruturas sociais, políticas e econômicas. O médico identificou dois tipos de fome: a epidêmica, associada às guerras ou a secas, que provocam a escassez de alimentos; e a endêmica, até então desconsiderada, quando uma alimentação é precária e, por não fornecer os nutrientes indispensáveis para o funcionamento adequado do organismo, favorece o surgimento de doenças.

 

Seus estudos culminaram em seu livro mais conhecido, Geografia da fome. Publicado em 1946, “é considerada uma obra de denúncia do flagelo da fome no Brasil”, sintetiza o historiador Helder Remigio de Amorim, da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), em sua tese de doutorado, defendida em 2016 na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que deve ser publicada como livro neste ano.

 

Em Geografia da fome, logo premiado pela Associação Brasileira de Escritores e pela Academia Brasileira de Letras, Castro divide o Brasil em cinco regiões geográficas, de acordo com a dieta e a eventual carência de proteínas e vitaminas (ver mapas).”

 

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome. Acesso em: 6 abr. 2023.

#Explorando dados#

Imagem: mapas da fome

Figura 1 – Mapas publicados no livro Geografia da Fome sobre a situação Alimentar do Brasil em 1940, de autoria de Josué Apolônio de Castro

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome/. Acesso em: 29 mar. 2023.

 

# Novas descobertas #

Desde 2006, o Brasil possui o Sistema de Segurança Alimentar Nutricional (SISAN, Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006), que prescreve que deve haver garantia de que todos tenham acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais. É dever o Estado garantir o Direito Humano à Alimentação Adequada.

 

#Mão na massa#

Considerando o excerto apresentado para a atividade MAPA, propomos um desafio, que é o de analisar como a questão da insegurança alimentar constitui-se um problema persistente em nosso país, pois após 50 anos do estudo de Josué Castro o Brasil ainda possui o equivalente a 15% da população vivendo em insegurança alimentar grave.

 

Diante desse quadro, e da responsabilidade do Gestor Público na garantia ao Direito Humano de uma alimentação adequada, levando ainda em conta o texto apresentado e o material didático da disciplina, responda às questões a seguir:

 

1- Josué de Castro foi inovador em sua abordagem. Nesse sentido, qual foi o tipo de pesquisa desenvolvida por ele para compreender a desnutrição no país?

 

2- O autor identifica dois tipos de fome no Brasil, apontando para a situação das distintas regiões do país. Tendo em vista os dados apresentados, que em 2022 o Brasil voltou ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014, podemos inferir, com base no texto, qual seria o tipo de fome no Brasil atualmente?

 

3- Diante da questão da insegurança alimentar, destaque um tipo de metodologia e estratégia de coleta de dados que poderá ser utilizada para auxiliar o gestor público a resolver e/ou amenizar tal situação, no intuito de promover políticas que possam garantir o direito à alimentação adequada.

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

Para isso, leia com atenção alguns trechos retirados da matéria escrita por Danilo Albergaria e Carlos Fioravanti, publicada na Revista Pesquisa Fapesp em fevereiro de 2023, disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome/ (para ter acesso ao texto completo).

Para isso, leia com atenção alguns trechos retirados da matéria escrita por Danilo Albergaria e Carlos Fioravanti, publicada na Revista Pesquisa Fapesp em fevereiro de 2023, disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome/ (para ter acesso ao texto completo).

 

“Título: As Raízes da Fome – Josué de Castro expos as bases econômicas, sociais e biológicas da desnutrição contínua

Quase 50 anos após a morte do médico pernambucano Josué Apolônio de Castro (1908-1973), que identificou as raízes mais profundas da desnutrição, o Brasil voltou em 2022 ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014. No país, 33 milhões de pessoas, o equivalente a 15% da população, vivem a chamada insegurança alimentar grave – quando uma pessoa passa fome por não ter dinheiro para comprar comida. Outros 33 milhões vivem uma insegurança alimentar moderada, por não terem quantidade suficiente de comida. Menos da metade da população desfruta de uma segurança alimentar plena, sabendo que terá alimentos em quantidade e qualidade satisfatórias nos dias seguintes.

 

Josué de Castro mostrou que a fome não é inevitável, resultado do crescimento da população, da guerra ou de catástrofes climáticas. Ele inovou ao aprofundar a análise das causas sociais e econômicas da fome, até então retratada como algo episódico em jornais e romances do começo do século XX.

 

Com base em sua experiência pessoal – viu a fome de perto quando era criança nos manguezais da cidade do Recife, onde nasceu –, em estudos que começavam a propor abordagens mais amplas do problema e em suas próprias pesquisas de campo, Castro examinou a fome à luz da medicina, da fisiologia, da nutrição e da geografia. Sua conclusão é que se tratava de um fenômeno biológico enraizado em estruturas sociais, políticas e econômicas. O médico identificou dois tipos de fome: a epidêmica, associada às guerras ou a secas, que provocam a escassez de alimentos; e a endêmica, até então desconsiderada, quando uma alimentação é precária e, por não fornecer os nutrientes indispensáveis para o funcionamento adequado do organismo, favorece o surgimento de doenças.

 

Seus estudos culminaram em seu livro mais conhecido, Geografia da fome. Publicado em 1946, “é considerada uma obra de denúncia do flagelo da fome no Brasil”, sintetiza o historiador Helder Remigio de Amorim, da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), em sua tese de doutorado, defendida em 2016 na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que deve ser publicada como livro neste ano.

 

Em Geografia da fome, logo premiado pela Associação Brasileira de Escritores e pela Academia Brasileira de Letras, Castro divide o Brasil em cinco regiões geográficas, de acordo com a dieta e a eventual carência de proteínas e vitaminas (ver mapas).”

 

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome. Acesso em: 6 abr. 2023.

#Explorando dados#

Imagem: mapas da fome

Figura 1 – Mapas publicados no livro Geografia da Fome sobre a situação Alimentar do Brasil em 1940, de autoria de Josué Apolônio de Castro

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome/. Acesso em: 29 mar. 2023.

 

# Novas descobertas #

Desde 2006, o Brasil possui o Sistema de Segurança Alimentar Nutricional (SISAN, Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006), que prescreve que deve haver garantia de que todos tenham acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais. É dever o Estado garantir o Direito Humano à Alimentação Adequada.

 

#Mão na massa#

Considerando o excerto apresentado para a atividade MAPA, propomos um desafio, que é o de analisar como a questão da insegurança alimentar constitui-se um problema persistente em nosso país, pois após 50 anos do estudo de Josué Castro o Brasil ainda possui o equivalente a 15% da população vivendo em insegurança alimentar grave.

 

Diante desse quadro, e da responsabilidade do Gestor Público na garantia ao Direito Humano de uma alimentação adequada, levando ainda em conta o texto apresentado e o material didático da disciplina, responda às questões a seguir:

 

1- Josué de Castro foi inovador em sua abordagem. Nesse sentido, qual foi o tipo de pesquisa desenvolvida por ele para compreender a desnutrição no país?

 

2- O autor identifica dois tipos de fome no Brasil, apontando para a situação das distintas regiões do país. Tendo em vista os dados apresentados, que em 2022 o Brasil voltou ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014, podemos inferir, com base no texto, qual seria o tipo de fome no Brasil atualmente?

 

3- Diante da questão da insegurança alimentar, destaque um tipo de metodologia e estratégia de coleta de dados que poderá ser utilizada para auxiliar o gestor público a resolver e/ou amenizar tal situação, no intuito de promover políticas que possam garantir o direito à alimentação adequada.

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

Atividade MAPA – Métodos de Pesquisa Aplicada à Gestão Pública Olá, acadêmico(a) do curso de Gestão Pública! A atividade proposta corresponde ao Material de Avaliação Prática da Aprendizagem- MAPA. O objetivo desta atividade é fazer com que você tenha uma experiência imersiva na reflexão sobre um problema social persistente – a fome no Brasil; e como a metodologia de pesquisa é fundamental na condução de políticas públicas que buscam respostas para esses problemas.

MAPA – GPUB – MÉTODOS DE PESQUISA APLICADOS À GESTÃO PÚBLICA – 52_2024

 

Atividade MAPA – Métodos de Pesquisa Aplicada à Gestão Pública

Olá, acadêmico(a) do curso de Gestão Pública! A atividade proposta corresponde ao Material de Avaliação Prática da Aprendizagem- MAPA.

 

O objetivo desta atividade é fazer com que você tenha uma experiência imersiva na reflexão sobre um problema social persistente – a fome no Brasil; e como a metodologia de pesquisa é fundamental na condução de políticas públicas que buscam respostas para esses problemas.

 

Para isso, leia com atenção alguns trechos retirados da matéria escrita por Danilo Albergaria e Carlos Fioravanti, publicada na Revista Pesquisa Fapesp em fevereiro de 2023, disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome/ (para ter acesso ao texto completo).

 

“Título: As Raízes da Fome – Josué de Castro expos as bases econômicas, sociais e biológicas da desnutrição contínua

Quase 50 anos após a morte do médico pernambucano Josué Apolônio de Castro (1908-1973), que identificou as raízes mais profundas da desnutrição, o Brasil voltou em 2022 ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014. No país, 33 milhões de pessoas, o equivalente a 15% da população, vivem a chamada insegurança alimentar grave – quando uma pessoa passa fome por não ter dinheiro para comprar comida. Outros 33 milhões vivem uma insegurança alimentar moderada, por não terem quantidade suficiente de comida. Menos da metade da população desfruta de uma segurança alimentar plena, sabendo que terá alimentos em quantidade e qualidade satisfatórias nos dias seguintes.

 

Josué de Castro mostrou que a fome não é inevitável, resultado do crescimento da população, da guerra ou de catástrofes climáticas. Ele inovou ao aprofundar a análise das causas sociais e econômicas da fome, até então retratada como algo episódico em jornais e romances do começo do século XX.

 

Com base em sua experiência pessoal – viu a fome de perto quando era criança nos manguezais da cidade do Recife, onde nasceu –, em estudos que começavam a propor abordagens mais amplas do problema e em suas próprias pesquisas de campo, Castro examinou a fome à luz da medicina, da fisiologia, da nutrição e da geografia. Sua conclusão é que se tratava de um fenômeno biológico enraizado em estruturas sociais, políticas e econômicas. O médico identificou dois tipos de fome: a epidêmica, associada às guerras ou a secas, que provocam a escassez de alimentos; e a endêmica, até então desconsiderada, quando uma alimentação é precária e, por não fornecer os nutrientes indispensáveis para o funcionamento adequado do organismo, favorece o surgimento de doenças.

 

Seus estudos culminaram em seu livro mais conhecido, Geografia da fome. Publicado em 1946, “é considerada uma obra de denúncia do flagelo da fome no Brasil”, sintetiza o historiador Helder Remigio de Amorim, da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), em sua tese de doutorado, defendida em 2016 na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que deve ser publicada como livro neste ano.

 

Em Geografia da fome, logo premiado pela Associação Brasileira de Escritores e pela Academia Brasileira de Letras, Castro divide o Brasil em cinco regiões geográficas, de acordo com a dieta e a eventual carência de proteínas e vitaminas (ver mapas).”

 

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome. Acesso em: 6 abr. 2023.

#Explorando dados#

Imagem: mapas da fome

Figura 1 – Mapas publicados no livro Geografia da Fome sobre a situação Alimentar do Brasil em 1940, de autoria de Josué Apolônio de Castro

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/as-raizes-da-fome/. Acesso em: 29 mar. 2023.

 

# Novas descobertas #

Desde 2006, o Brasil possui o Sistema de Segurança Alimentar Nutricional (SISAN, Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006), que prescreve que deve haver garantia de que todos tenham acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais. É dever o Estado garantir o Direito Humano à Alimentação Adequada.

 

#Mão na massa#

Considerando o excerto apresentado para a atividade MAPA, propomos um desafio, que é o de analisar como a questão da insegurança alimentar constitui-se um problema persistente em nosso país, pois após 50 anos do estudo de Josué Castro o Brasil ainda possui o equivalente a 15% da população vivendo em insegurança alimentar grave.

 

Diante desse quadro, e da responsabilidade do Gestor Público na garantia ao Direito Humano de uma alimentação adequada, levando ainda em conta o texto apresentado e o material didático da disciplina, responda às questões a seguir:

 

1- Josué de Castro foi inovador em sua abordagem. Nesse sentido, qual foi o tipo de pesquisa desenvolvida por ele para compreender a desnutrição no país?

 

2- O autor identifica dois tipos de fome no Brasil, apontando para a situação das distintas regiões do país. Tendo em vista os dados apresentados, que em 2022 o Brasil voltou ao Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual havia saído em 2014, podemos inferir, com base no texto, qual seria o tipo de fome no Brasil atualmente?

 

3- Diante da questão da insegurança alimentar, destaque um tipo de metodologia e estratégia de coleta de dados que poderá ser utilizada para auxiliar o gestor público a resolver e/ou amenizar tal situação, no intuito de promover políticas que possam garantir o direito à alimentação adequada.

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

 

O que a LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece sobre o Orçamento Participativo? Você enquanto cidadão consegue participar do Orçamento Participativo do seu Município?

  1. O que a LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece sobre o Orçamento Participativo?
  2. Você enquanto cidadão consegue participar do Orçamento Participativo do seu Município?

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

 

ATIVIDADE: Neste sentido, para realizar a sua atividade MAPA, você deverá elaborar um texto dissertativo, entre 15 e 30 linhas, abordando os seguintes tópicos: O que é Orçamento Público e o que é Orçamento Participativo.

 

ATIVIDADE:

 

Neste sentido, para realizar a sua atividade MAPA, você deverá elaborar um texto dissertativo, entre 15 e 30 linhas, abordando os seguintes tópicos:

  1. O que é Orçamento Público e o que é Orçamento Participativo.
  2. O que a LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece sobre o Orçamento Participativo?
  3. Você enquanto cidadão consegue participar do Orçamento Participativo do seu Município?

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

 

#Pesquise mais sobre o assunto: Para aprimorar ainda mais a compreensão sobre esses temas, instigo você a fazer uma visita virtual ao Portal da Transparência de um município (via internet). Lá, procure pelo ícone referente ao Orçamento Participativo. Isso permitirá que você obtenha informações detalhadas sobre como esse processo funciona e como os recursos são alocados. A transparência é fundamental para uma gestão pública eficiente e para o envolvimento dos cidadãos nas decisões orçamentárias.

#Pesquise mais sobre o assunto:

Para aprimorar ainda mais a compreensão sobre esses temas, instigo você a fazer uma visita virtual ao Portal da Transparência de um município (via internet). Lá, procure pelo ícone referente ao Orçamento Participativo. Isso permitirá que você obtenha informações detalhadas sobre como esse processo funciona e como os recursos são alocados. A transparência é fundamental para uma gestão pública eficiente e para o envolvimento dos cidadãos nas decisões orçamentárias.

 

ATIVIDADE:

 

Neste sentido, para realizar a sua atividade MAPA, você deverá elaborar um texto dissertativo, entre 15 e 30 linhas, abordando os seguintes tópicos:

  1. O que é Orçamento Público e o que é Orçamento Participativo.
  2. O que a LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece sobre o Orçamento Participativo?
  3. Você enquanto cidadão consegue participar do Orçamento Participativo do seu Município?

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

 

Todo esse material irão enriquecer o seu conhecimento sobre o Orçamento Público, a Responsabilidade Fiscal dos Gestores Públicos e Orçamento Participativo.

Todo esse material irão enriquecer o seu conhecimento sobre o Orçamento Público, a Responsabilidade Fiscal dos Gestores Públicos e Orçamento Participativo.

 

#Pesquise mais sobre o assunto:

Para aprimorar ainda mais a compreensão sobre esses temas, instigo você a fazer uma visita virtual ao Portal da Transparência de um município (via internet). Lá, procure pelo ícone referente ao Orçamento Participativo. Isso permitirá que você obtenha informações detalhadas sobre como esse processo funciona e como os recursos são alocados. A transparência é fundamental para uma gestão pública eficiente e para o envolvimento dos cidadãos nas decisões orçamentárias.

 

ATIVIDADE:

 

Neste sentido, para realizar a sua atividade MAPA, você deverá elaborar um texto dissertativo, entre 15 e 30 linhas, abordando os seguintes tópicos:

  1. O que é Orçamento Público e o que é Orçamento Participativo.
  2. O que a LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece sobre o Orçamento Participativo?
  3. Você enquanto cidadão consegue participar do Orçamento Participativo do seu Município?

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

 

#APROFUNDANDO O CONHECIMENTO: Faça uma leitura do livro didático da disciplina, especificamente na Unidade 1, e assista a aula conceitual 1, como também acesse os links abaixo e assista aos vídeos, que lhe darão argumentos e embasamento para a realização dessa atividade: *Orçamento participativo: https://youtu.be/jxrCkORrA_g *Noções básicas de Orçamento Público – PPA, LDO e LOA: https://youtu.be/xHpdDyPQ_kQ

#APROFUNDANDO O CONHECIMENTO:

Faça uma leitura do livro didático da disciplina, especificamente na Unidade 1, e assista a aula conceitual 1, como também acesse os links abaixo e assista aos vídeos, que lhe darão argumentos e embasamento para a realização dessa atividade:

 

*Orçamento participativo: https://youtu.be/jxrCkORrA_g

*Noções básicas de Orçamento Público – PPA, LDO e LOA: https://youtu.be/xHpdDyPQ_kQ

 

Todo esse material irão enriquecer o seu conhecimento sobre o Orçamento Público, a Responsabilidade Fiscal dos Gestores Públicos e Orçamento Participativo.

 

#Pesquise mais sobre o assunto:

Para aprimorar ainda mais a compreensão sobre esses temas, instigo você a fazer uma visita virtual ao Portal da Transparência de um município (via internet). Lá, procure pelo ícone referente ao Orçamento Participativo. Isso permitirá que você obtenha informações detalhadas sobre como esse processo funciona e como os recursos são alocados. A transparência é fundamental para uma gestão pública eficiente e para o envolvimento dos cidadãos nas decisões orçamentárias.

 

ATIVIDADE:

 

Neste sentido, para realizar a sua atividade MAPA, você deverá elaborar um texto dissertativo, entre 15 e 30 linhas, abordando os seguintes tópicos:

  1. O que é Orçamento Público e o que é Orçamento Participativo.
  2. O que a LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece sobre o Orçamento Participativo?
  3. Você enquanto cidadão consegue participar do Orçamento Participativo do seu Município?

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

Entende-se por ato público todo processo de tomada de decisão que envolva o patrimônio público, e para dar transparência aos atos ocorridos, os gestores públicos o fazem através da Contabilidade Aplicada ao Setor Público, prestando informações e fazendo com que a sociedade participe do processo de tomada de decisão através do Orçamento Participativo.

Entende-se por ato público todo processo de tomada de decisão que envolva o patrimônio público, e para dar transparência aos atos ocorridos, os gestores públicos o fazem através da Contabilidade Aplicada ao Setor Público, prestando informações e fazendo com que a sociedade participe do processo de tomada de decisão através do Orçamento Participativo.

 

CAVASSANI, Bruno Fernando. Contabilidade Aplicada ao Setor Público. Maringa-Pr.:Unicesumar, 2020.

 

#APROFUNDANDO O CONHECIMENTO:

Faça uma leitura do livro didático da disciplina, especificamente na Unidade 1, e assista a aula conceitual 1, como também acesse os links abaixo e assista aos vídeos, que lhe darão argumentos e embasamento para a realização dessa atividade:

 

*Orçamento participativo: https://youtu.be/jxrCkORrA_g

*Noções básicas de Orçamento Público – PPA, LDO e LOA: https://youtu.be/xHpdDyPQ_kQ

 

Todo esse material irão enriquecer o seu conhecimento sobre o Orçamento Público, a Responsabilidade Fiscal dos Gestores Públicos e Orçamento Participativo.

 

#Pesquise mais sobre o assunto:

Para aprimorar ainda mais a compreensão sobre esses temas, instigo você a fazer uma visita virtual ao Portal da Transparência de um município (via internet). Lá, procure pelo ícone referente ao Orçamento Participativo. Isso permitirá que você obtenha informações detalhadas sobre como esse processo funciona e como os recursos são alocados. A transparência é fundamental para uma gestão pública eficiente e para o envolvimento dos cidadãos nas decisões orçamentárias.

 

ATIVIDADE:

 

Neste sentido, para realizar a sua atividade MAPA, você deverá elaborar um texto dissertativo, entre 15 e 30 linhas, abordando os seguintes tópicos:

  1. O que é Orçamento Público e o que é Orçamento Participativo.
  2. O que a LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece sobre o Orçamento Participativo?
  3. Você enquanto cidadão consegue participar do Orçamento Participativo do seu Município?

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

ORÇAMENTOS PARTICIPATIVOS Disponível em: . Acesso em: 22 mar. 2024. Os gestores públicos têm a função de administrar os bens públicos, bem como arrecadar recursos, formular e implementar políticas públicas que visam contribuir para o bem estar da sociedade. Desta forma, ao tomar decisões devem se atentar ao que está descrito na LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal, que é: dar transparência e prestar contas de todos os seus atos.

ORÇAMENTOS PARTICIPATIVOS

Disponível em: <https://www.enap.gov.br/pt/acontece/noticias/prefeituras-precisam-conquistar-confianca-da-populacao>. Acesso em: 22 mar. 2024.

Os gestores públicos têm a função de administrar os bens públicos, bem como arrecadar recursos, formular e implementar políticas públicas que visam contribuir para o bem estar da sociedade. Desta forma, ao tomar decisões devem se atentar ao que está descrito na LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal, que é: dar transparência e prestar contas de todos os seus atos.

 

Entende-se por ato público todo processo de tomada de decisão que envolva o patrimônio público, e para dar transparência aos atos ocorridos, os gestores públicos o fazem através da Contabilidade Aplicada ao Setor Público, prestando informações e fazendo com que a sociedade participe do processo de tomada de decisão através do Orçamento Participativo.

 

CAVASSANI, Bruno Fernando. Contabilidade Aplicada ao Setor Público. Maringa-Pr.:Unicesumar, 2020.

 

#APROFUNDANDO O CONHECIMENTO:

Faça uma leitura do livro didático da disciplina, especificamente na Unidade 1, e assista a aula conceitual 1, como também acesse os links abaixo e assista aos vídeos, que lhe darão argumentos e embasamento para a realização dessa atividade:

 

*Orçamento participativo: https://youtu.be/jxrCkORrA_g

*Noções básicas de Orçamento Público – PPA, LDO e LOA: https://youtu.be/xHpdDyPQ_kQ

 

Todo esse material irão enriquecer o seu conhecimento sobre o Orçamento Público, a Responsabilidade Fiscal dos Gestores Públicos e Orçamento Participativo.

 

#Pesquise mais sobre o assunto:

Para aprimorar ainda mais a compreensão sobre esses temas, instigo você a fazer uma visita virtual ao Portal da Transparência de um município (via internet). Lá, procure pelo ícone referente ao Orçamento Participativo. Isso permitirá que você obtenha informações detalhadas sobre como esse processo funciona e como os recursos são alocados. A transparência é fundamental para uma gestão pública eficiente e para o envolvimento dos cidadãos nas decisões orçamentárias.

 

ATIVIDADE:

 

Neste sentido, para realizar a sua atividade MAPA, você deverá elaborar um texto dissertativo, entre 15 e 30 linhas, abordando os seguintes tópicos:

  1. O que é Orçamento Público e o que é Orçamento Participativo.
  2. O que a LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece sobre o Orçamento Participativo?
  3. Você enquanto cidadão consegue participar do Orçamento Participativo do seu Município?

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

Olá, estudante do Curso de Gestão Pública e da disciplina de Contabilidade Aplicada ao Setor Público. A atividade proposta corresponde ao Material de Avaliação Prática de Aprendizagem (MAPA). O objetivo desta atividade é capacitar você aluno(a) do curso de Gestão Pública a compreender e aplicar os princípios da contabilidade pública no contexto do orçamento participativo.

MAPA – GPUB – CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO – 52_2024

 

Olá, estudante do Curso de Gestão Pública e da disciplina de Contabilidade Aplicada ao Setor Público. A atividade proposta corresponde ao Material de Avaliação Prática de Aprendizagem (MAPA).

 

O objetivo desta atividade é capacitar você aluno(a) do curso de Gestão Pública a compreender e aplicar os princípios da contabilidade pública no contexto do orçamento participativo.

 

ORÇAMENTOS PARTICIPATIVOS

Disponível em: <https://www.enap.gov.br/pt/acontece/noticias/prefeituras-precisam-conquistar-confianca-da-populacao>. Acesso em: 22 mar. 2024.

Os gestores públicos têm a função de administrar os bens públicos, bem como arrecadar recursos, formular e implementar políticas públicas que visam contribuir para o bem estar da sociedade. Desta forma, ao tomar decisões devem se atentar ao que está descrito na LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal, que é: dar transparência e prestar contas de todos os seus atos.

 

Entende-se por ato público todo processo de tomada de decisão que envolva o patrimônio público, e para dar transparência aos atos ocorridos, os gestores públicos o fazem através da Contabilidade Aplicada ao Setor Público, prestando informações e fazendo com que a sociedade participe do processo de tomada de decisão através do Orçamento Participativo.

 

CAVASSANI, Bruno Fernando. Contabilidade Aplicada ao Setor Público. Maringa-Pr.:Unicesumar, 2020.

 

#APROFUNDANDO O CONHECIMENTO:

Faça uma leitura do livro didático da disciplina, especificamente na Unidade 1, e assista a aula conceitual 1, como também acesse os links abaixo e assista aos vídeos, que lhe darão argumentos e embasamento para a realização dessa atividade:

 

*Orçamento participativo: https://youtu.be/jxrCkORrA_g

*Noções básicas de Orçamento Público – PPA, LDO e LOA: https://youtu.be/xHpdDyPQ_kQ

 

Todo esse material irão enriquecer o seu conhecimento sobre o Orçamento Público, a Responsabilidade Fiscal dos Gestores Públicos e Orçamento Participativo.

 

#Pesquise mais sobre o assunto:

Para aprimorar ainda mais a compreensão sobre esses temas, instigo você a fazer uma visita virtual ao Portal da Transparência de um município (via internet). Lá, procure pelo ícone referente ao Orçamento Participativo. Isso permitirá que você obtenha informações detalhadas sobre como esse processo funciona e como os recursos são alocados. A transparência é fundamental para uma gestão pública eficiente e para o envolvimento dos cidadãos nas decisões orçamentárias.

 

ATIVIDADE:

 

Neste sentido, para realizar a sua atividade MAPA, você deverá elaborar um texto dissertativo, entre 15 e 30 linhas, abordando os seguintes tópicos:

  1. O que é Orçamento Público e o que é Orçamento Participativo.
  2. O que a LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece sobre o Orçamento Participativo?
  3. Você enquanto cidadão consegue participar do Orçamento Participativo do seu Município?

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES:

– Assista ao vídeo explicativo gravado pela Professora da disciplina, com orientações para a realização da atividade MAPA.

– Utilize o Formulário do MAPA disponível no campo “Material da Disciplina”.

– Não se esqueça de apresentar referências das fontes de pesquisa (caso utilize).

– Salve o arquivo em formato Word antes de postar no ambiente.

– Após realizar o MAPA, anexe no local indicado e, em seguida, clique em cima do arquivo para abri-lo e conferir se o arquivo postado é o correto.

– Atenção ao clicar em finalizar, pois sua atividade será finalizada/enviada ao sistema e você não conseguirá substituir o arquivo.

 

Desenvolva uma hipótese que possa, de alguma forma, explicar os dados discutidos no texto anterior de que, no Brasil, embora as mulheres sejam quase 59% dos servidores públicos, elas estão em apenas 18,6% dos cargos de liderança. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, quinze linhas.

  1. Desenvolva uma hipótese que possa, de alguma forma, explicar os dados discutidos no texto anterior de que, no Brasil, embora as mulheres sejam quase 59% dos servidores públicos, elas estão em apenas 18,6% dos cargos de liderança. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, quinze linhas.

 

Observação: para esta atividade, você pode ir além do texto anterior, relacionando-o com leituras de jornais e revistas, além do material didático.

 

ATENÇÃO: para responder a Atividade de Estudo 1, orientamos que digite a sua resposta, primeiramente, em um arquivo WORD, em seu computador — pois, caso digite direto na caixa de texto no ambiente Studeo, pode acontecer de expirar o tempo e perder sua resposta —, depois disso, copie sua resposta e cole na caixa de resposta a seguir.

 

Nesta Atividade de Estudo 1, você é convidado(a) a relacionar o texto anterior com a sua experiência cotidiana, levando em consideração a importância de um Gestor Público estudar a trajetória da sociedade até os dias atuais e entender alguns padrões de desigualdades para, assim, desenvolver políticas públicas atentas ao contexto social. Para tanto, responda: Defina o que é hipótese. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, cinco linhas.

Nesta Atividade de Estudo 1, você é convidado(a) a relacionar o texto anterior com a sua experiência cotidiana, levando em consideração a importância de um Gestor Público estudar a trajetória da sociedade até os dias atuais e entender alguns padrões de desigualdades para, assim, desenvolver políticas públicas atentas ao contexto social. Para tanto, responda:

 

  1. Defina o que é hipótese. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, cinco linhas.

 

  1. Desenvolva uma hipótese que possa, de alguma forma, explicar os dados discutidos no texto anterior de que, no Brasil, embora as mulheres sejam quase 59% dos servidores públicos, elas estão em apenas 18,6% dos cargos de liderança. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, quinze linhas.

 

Observação: para esta atividade, você pode ir além do texto anterior, relacionando-o com leituras de jornais e revistas, além do material didático.

 

ATENÇÃO: para responder a Atividade de Estudo 1, orientamos que digite a sua resposta, primeiramente, em um arquivo WORD, em seu computador — pois, caso digite direto na caixa de texto no ambiente Studeo, pode acontecer de expirar o tempo e perder sua resposta —, depois disso, copie sua resposta e cole na caixa de resposta a seguir.

 

‘Há pouco reconhecimento de que a desigualdade de gênero seja um problema no setor público brasileiro e, como consequência, existem poucas políticas públicas a respeito’, observa. Vaz acrescenta que, nos cargos em comissão do grupo Direção e Assessoramento Superiores (DAS) do Poder Executivo federal, a proporção de mulheres no nível 6, mais alto na hierarquia, era de 22% no final do ano passado. ‘Esse percentual pouco avançou na última década: estava em 20,9% em novembro de 2009’, diz”.

‘Há pouco reconhecimento de que a desigualdade de gênero seja um problema no setor público brasileiro e, como consequência, existem poucas políticas públicas a respeito’, observa. Vaz acrescenta que, nos cargos em comissão do grupo Direção e Assessoramento Superiores (DAS) do Poder Executivo federal, a proporção de mulheres no nível 6, mais alto na hierarquia, era de 22% no final do ano passado. ‘Esse percentual pouco avançou na última década: estava em 20,9% em novembro de 2009’, diz”.

 

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/mulheres-enfrentam-barreiras-para-a-ascensao-no-servico-publico-brasileiro/. Acesso em: 6 abr. 2023.

 

Nesta Atividade de Estudo 1, você é convidado(a) a relacionar o texto anterior com a sua experiência cotidiana, levando em consideração a importância de um Gestor Público estudar a trajetória da sociedade até os dias atuais e entender alguns padrões de desigualdades para, assim, desenvolver políticas públicas atentas ao contexto social. Para tanto, responda:

 

  1. Defina o que é hipótese. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, cinco linhas.

 

  1. Desenvolva uma hipótese que possa, de alguma forma, explicar os dados discutidos no texto anterior de que, no Brasil, embora as mulheres sejam quase 59% dos servidores públicos, elas estão em apenas 18,6% dos cargos de liderança. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, quinze linhas.

 

Observação: para esta atividade, você pode ir além do texto anterior, relacionando-o com leituras de jornais e revistas, além do material didático.

 

ATENÇÃO: para responder a Atividade de Estudo 1, orientamos que digite a sua resposta, primeiramente, em um arquivo WORD, em seu computador — pois, caso digite direto na caixa de texto no ambiente Studeo, pode acontecer de expirar o tempo e perder sua resposta —, depois disso, copie sua resposta e cole na caixa de resposta a seguir.

[…] ‘A péssima posição do Brasil não surpreende. Também está entre os países mais mal avaliados da América Latina no que diz respeito aos direitos políticos das mulheres e à paridade política entre homens e mulheres. Até 2006, nem sequer dispunha de legislação específica sobre violência contra a mulher, ao passo que 17 países da região já legislavam sobre o tema’, afirma a economista Daniela Verzola Vaz, da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

[…]

 

‘A péssima posição do Brasil não surpreende. Também está entre os países mais mal avaliados da América Latina no que diz respeito aos direitos políticos das mulheres e à paridade política entre homens e mulheres. Até 2006, nem sequer dispunha de legislação específica sobre violência contra a mulher, ao passo que 17 países da região já legislavam sobre o tema’, afirma a economista Daniela Verzola Vaz, da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

 

‘Há pouco reconhecimento de que a desigualdade de gênero seja um problema no setor público brasileiro e, como consequência, existem poucas políticas públicas a respeito’, observa. Vaz acrescenta que, nos cargos em comissão do grupo Direção e Assessoramento Superiores (DAS) do Poder Executivo federal, a proporção de mulheres no nível 6, mais alto na hierarquia, era de 22% no final do ano passado. ‘Esse percentual pouco avançou na última década: estava em 20,9% em novembro de 2009’, diz”.

 

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/mulheres-enfrentam-barreiras-para-a-ascensao-no-servico-publico-brasileiro/. Acesso em: 6 abr. 2023.

 

Nesta Atividade de Estudo 1, você é convidado(a) a relacionar o texto anterior com a sua experiência cotidiana, levando em consideração a importância de um Gestor Público estudar a trajetória da sociedade até os dias atuais e entender alguns padrões de desigualdades para, assim, desenvolver políticas públicas atentas ao contexto social. Para tanto, responda:

 

  1. Defina o que é hipótese. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, cinco linhas.

 

  1. Desenvolva uma hipótese que possa, de alguma forma, explicar os dados discutidos no texto anterior de que, no Brasil, embora as mulheres sejam quase 59% dos servidores públicos, elas estão em apenas 18,6% dos cargos de liderança. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, quinze linhas.

 

Observação: para esta atividade, você pode ir além do texto anterior, relacionando-o com leituras de jornais e revistas, além do material didático.

 

ATENÇÃO: para responder a Atividade de Estudo 1, orientamos que digite a sua resposta, primeiramente, em um arquivo WORD, em seu computador — pois, caso digite direto na caixa de texto no ambiente Studeo, pode acontecer de expirar o tempo e perder sua resposta —, depois disso, copie sua resposta e cole na caixa de resposta a seguir.

O relatório aponta que as mulheres compõem 52% do funcionalismo dos países estudados. No entanto, são apenas 23,6% nos cargos classificados como de nível 1 (equivalente a ministro) e 44,2% nos cargos de nível 4 (diretor). No Brasil, embora as mulheres, de acordo com o Atlas do Estado brasileiro, produzido pelo Ipea, sejam quase 59% dos servidores, são apenas 18,6% nos cargos de liderança, nos quatro níveis, conforme o relatório do BID. Separando pelos níveis estudados, em 2022 elas eram 19,3% no nível 4, 22,1% no nível 3 (subsecretária) e 9,1% no nível 2 (secretária).

 

O relatório aponta que as mulheres compõem 52% do funcionalismo dos países estudados. No entanto, são apenas 23,6% nos cargos classificados como de nível 1 (equivalente a ministro) e 44,2% nos cargos de nível 4 (diretor). No Brasil, embora as mulheres, de acordo com o Atlas do Estado brasileiro, produzido pelo Ipea, sejam quase 59% dos servidores, são apenas 18,6% nos cargos de liderança, nos quatro níveis, conforme o relatório do BID. Separando pelos níveis estudados, em 2022 elas eram 19,3% no nível 4, 22,1% no nível 3 (subsecretária) e 9,1% no nível 2 (secretária).

 

[…]

 

‘A péssima posição do Brasil não surpreende. Também está entre os países mais mal avaliados da América Latina no que diz respeito aos direitos políticos das mulheres e à paridade política entre homens e mulheres. Até 2006, nem sequer dispunha de legislação específica sobre violência contra a mulher, ao passo que 17 países da região já legislavam sobre o tema’, afirma a economista Daniela Verzola Vaz, da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

 

‘Há pouco reconhecimento de que a desigualdade de gênero seja um problema no setor público brasileiro e, como consequência, existem poucas políticas públicas a respeito’, observa. Vaz acrescenta que, nos cargos em comissão do grupo Direção e Assessoramento Superiores (DAS) do Poder Executivo federal, a proporção de mulheres no nível 6, mais alto na hierarquia, era de 22% no final do ano passado. ‘Esse percentual pouco avançou na última década: estava em 20,9% em novembro de 2009’, diz”.

 

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/mulheres-enfrentam-barreiras-para-a-ascensao-no-servico-publico-brasileiro/. Acesso em: 6 abr. 2023.

 

Nesta Atividade de Estudo 1, você é convidado(a) a relacionar o texto anterior com a sua experiência cotidiana, levando em consideração a importância de um Gestor Público estudar a trajetória da sociedade até os dias atuais e entender alguns padrões de desigualdades para, assim, desenvolver políticas públicas atentas ao contexto social. Para tanto, responda:

 

  1. Defina o que é hipótese. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, cinco linhas.

 

  1. Desenvolva uma hipótese que possa, de alguma forma, explicar os dados discutidos no texto anterior de que, no Brasil, embora as mulheres sejam quase 59% dos servidores públicos, elas estão em apenas 18,6% dos cargos de liderança. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, quinze linhas.

 

Observação: para esta atividade, você pode ir além do texto anterior, relacionando-o com leituras de jornais e revistas, além do material didático.

 

ATENÇÃO: para responder a Atividade de Estudo 1, orientamos que digite a sua resposta, primeiramente, em um arquivo WORD, em seu computador — pois, caso digite direto na caixa de texto no ambiente Studeo, pode acontecer de expirar o tempo e perder sua resposta —, depois disso, copie sua resposta e cole na caixa de resposta a seguir.

Os dados revelam o quanto o fenômeno conhecido como “teto de vidro” ainda impõe barreiras à ascensão profissional para lideranças femininas no continente, barreiras ainda mais difíceis de transpor para as negras. A metáfora do teto de vidro foi cunhada em 1978 pela consultora norte-americana Marylin Loden (1946-2022) para se referir ao setor privado, denunciando os obstáculos muitas vezes invisíveis que impedem a ascensão das mulheres aos cargos mais altos. Mas o teto também cobre a cabeça das profissionais da administração pública.

Os dados revelam o quanto o fenômeno conhecido como “teto de vidro” ainda impõe barreiras à ascensão profissional para lideranças femininas no continente, barreiras ainda mais difíceis de transpor para as negras. A metáfora do teto de vidro foi cunhada em 1978 pela consultora norte-americana Marylin Loden (1946-2022) para se referir ao setor privado, denunciando os obstáculos muitas vezes invisíveis que impedem a ascensão das mulheres aos cargos mais altos. Mas o teto também cobre a cabeça das profissionais da administração pública.

 

O relatório aponta que as mulheres compõem 52% do funcionalismo dos países estudados. No entanto, são apenas 23,6% nos cargos classificados como de nível 1 (equivalente a ministro) e 44,2% nos cargos de nível 4 (diretor). No Brasil, embora as mulheres, de acordo com o Atlas do Estado brasileiro, produzido pelo Ipea, sejam quase 59% dos servidores, são apenas 18,6% nos cargos de liderança, nos quatro níveis, conforme o relatório do BID. Separando pelos níveis estudados, em 2022 elas eram 19,3% no nível 4, 22,1% no nível 3 (subsecretária) e 9,1% no nível 2 (secretária).

 

[…]

 

‘A péssima posição do Brasil não surpreende. Também está entre os países mais mal avaliados da América Latina no que diz respeito aos direitos políticos das mulheres e à paridade política entre homens e mulheres. Até 2006, nem sequer dispunha de legislação específica sobre violência contra a mulher, ao passo que 17 países da região já legislavam sobre o tema’, afirma a economista Daniela Verzola Vaz, da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

 

‘Há pouco reconhecimento de que a desigualdade de gênero seja um problema no setor público brasileiro e, como consequência, existem poucas políticas públicas a respeito’, observa. Vaz acrescenta que, nos cargos em comissão do grupo Direção e Assessoramento Superiores (DAS) do Poder Executivo federal, a proporção de mulheres no nível 6, mais alto na hierarquia, era de 22% no final do ano passado. ‘Esse percentual pouco avançou na última década: estava em 20,9% em novembro de 2009’, diz”.

 

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/mulheres-enfrentam-barreiras-para-a-ascensao-no-servico-publico-brasileiro/. Acesso em: 6 abr. 2023.

 

Nesta Atividade de Estudo 1, você é convidado(a) a relacionar o texto anterior com a sua experiência cotidiana, levando em consideração a importância de um Gestor Público estudar a trajetória da sociedade até os dias atuais e entender alguns padrões de desigualdades para, assim, desenvolver políticas públicas atentas ao contexto social. Para tanto, responda:

 

  1. Defina o que é hipótese. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, cinco linhas.

 

  1. Desenvolva uma hipótese que possa, de alguma forma, explicar os dados discutidos no texto anterior de que, no Brasil, embora as mulheres sejam quase 59% dos servidores públicos, elas estão em apenas 18,6% dos cargos de liderança. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, quinze linhas.

 

Observação: para esta atividade, você pode ir além do texto anterior, relacionando-o com leituras de jornais e revistas, além do material didático.

 

ATENÇÃO: para responder a Atividade de Estudo 1, orientamos que digite a sua resposta, primeiramente, em um arquivo WORD, em seu computador — pois, caso digite direto na caixa de texto no ambiente Studeo, pode acontecer de expirar o tempo e perder sua resposta —, depois disso, copie sua resposta e cole na caixa de resposta a seguir.

“Embora já correspondam a mais de metade da força de trabalho na burocracia brasileira (59%), as mulheres ocupam menos de 20% dos cargos de direção. O número, divulgado em dezembro no estudo “Mulheres líderes no setor público da América Latina e do Caribe”, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), coloca o país em posição inferior à da maioria dos vizinhos na região. Países como Argentina (40,7%), Colômbia (47,1%) e Costa Rica (53,5%) caminham, pelo menos à primeira vista, para a paridade de gênero no setor público.

“Embora já correspondam a mais de metade da força de trabalho na burocracia brasileira (59%), as mulheres ocupam menos de 20% dos cargos de direção. O número, divulgado em dezembro no estudo “Mulheres líderes no setor público da América Latina e do Caribe”, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), coloca o país em posição inferior à da maioria dos vizinhos na região. Países como Argentina (40,7%), Colômbia (47,1%) e Costa Rica (53,5%) caminham, pelo menos à primeira vista, para a paridade de gênero no setor público.

 

Os dados revelam o quanto o fenômeno conhecido como “teto de vidro” ainda impõe barreiras à ascensão profissional para lideranças femininas no continente, barreiras ainda mais difíceis de transpor para as negras. A metáfora do teto de vidro foi cunhada em 1978 pela consultora norte-americana Marylin Loden (1946-2022) para se referir ao setor privado, denunciando os obstáculos muitas vezes invisíveis que impedem a ascensão das mulheres aos cargos mais altos. Mas o teto também cobre a cabeça das profissionais da administração pública.

 

O relatório aponta que as mulheres compõem 52% do funcionalismo dos países estudados. No entanto, são apenas 23,6% nos cargos classificados como de nível 1 (equivalente a ministro) e 44,2% nos cargos de nível 4 (diretor). No Brasil, embora as mulheres, de acordo com o Atlas do Estado brasileiro, produzido pelo Ipea, sejam quase 59% dos servidores, são apenas 18,6% nos cargos de liderança, nos quatro níveis, conforme o relatório do BID. Separando pelos níveis estudados, em 2022 elas eram 19,3% no nível 4, 22,1% no nível 3 (subsecretária) e 9,1% no nível 2 (secretária).

 

[…]

 

‘A péssima posição do Brasil não surpreende. Também está entre os países mais mal avaliados da América Latina no que diz respeito aos direitos políticos das mulheres e à paridade política entre homens e mulheres. Até 2006, nem sequer dispunha de legislação específica sobre violência contra a mulher, ao passo que 17 países da região já legislavam sobre o tema’, afirma a economista Daniela Verzola Vaz, da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

 

‘Há pouco reconhecimento de que a desigualdade de gênero seja um problema no setor público brasileiro e, como consequência, existem poucas políticas públicas a respeito’, observa. Vaz acrescenta que, nos cargos em comissão do grupo Direção e Assessoramento Superiores (DAS) do Poder Executivo federal, a proporção de mulheres no nível 6, mais alto na hierarquia, era de 22% no final do ano passado. ‘Esse percentual pouco avançou na última década: estava em 20,9% em novembro de 2009’, diz”.

 

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/mulheres-enfrentam-barreiras-para-a-ascensao-no-servico-publico-brasileiro/. Acesso em: 6 abr. 2023.

 

Nesta Atividade de Estudo 1, você é convidado(a) a relacionar o texto anterior com a sua experiência cotidiana, levando em consideração a importância de um Gestor Público estudar a trajetória da sociedade até os dias atuais e entender alguns padrões de desigualdades para, assim, desenvolver políticas públicas atentas ao contexto social. Para tanto, responda:

 

  1. Defina o que é hipótese. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, cinco linhas.

 

  1. Desenvolva uma hipótese que possa, de alguma forma, explicar os dados discutidos no texto anterior de que, no Brasil, embora as mulheres sejam quase 59% dos servidores públicos, elas estão em apenas 18,6% dos cargos de liderança. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, quinze linhas.

 

Observação: para esta atividade, você pode ir além do texto anterior, relacionando-o com leituras de jornais e revistas, além do material didático.

 

ATENÇÃO: para responder a Atividade de Estudo 1, orientamos que digite a sua resposta, primeiramente, em um arquivo WORD, em seu computador — pois, caso digite direto na caixa de texto no ambiente Studeo, pode acontecer de expirar o tempo e perder sua resposta —, depois disso, copie sua resposta e cole na caixa de resposta a seguir.

Nesse sentido, a metodologia de pesquisa é uma ferramenta fundamental para o Gestor Público. Assim, leia com atenção os trechos retirados do texto “Mulheres Enfrentam Barreiras para a Ascensão no Serviço Público Brasileiro”, publicado na Revista FAPESP, em março de 2023, por Diego Viana, e disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/mulheres-enfrentam-barreiras-para-a-ascensao-no-servico-publico-brasileiro/.

Nesse sentido, a metodologia de pesquisa é uma ferramenta fundamental para o Gestor Público. Assim, leia com atenção os trechos retirados do texto “Mulheres Enfrentam Barreiras para a Ascensão no Serviço Público Brasileiro”, publicado na Revista FAPESP, em março de 2023, por Diego Viana, e disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/mulheres-enfrentam-barreiras-para-a-ascensao-no-servico-publico-brasileiro/.

 

“Embora já correspondam a mais de metade da força de trabalho na burocracia brasileira (59%), as mulheres ocupam menos de 20% dos cargos de direção. O número, divulgado em dezembro no estudo “Mulheres líderes no setor público da América Latina e do Caribe”, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), coloca o país em posição inferior à da maioria dos vizinhos na região. Países como Argentina (40,7%), Colômbia (47,1%) e Costa Rica (53,5%) caminham, pelo menos à primeira vista, para a paridade de gênero no setor público.

 

Os dados revelam o quanto o fenômeno conhecido como “teto de vidro” ainda impõe barreiras à ascensão profissional para lideranças femininas no continente, barreiras ainda mais difíceis de transpor para as negras. A metáfora do teto de vidro foi cunhada em 1978 pela consultora norte-americana Marylin Loden (1946-2022) para se referir ao setor privado, denunciando os obstáculos muitas vezes invisíveis que impedem a ascensão das mulheres aos cargos mais altos. Mas o teto também cobre a cabeça das profissionais da administração pública.

 

O relatório aponta que as mulheres compõem 52% do funcionalismo dos países estudados. No entanto, são apenas 23,6% nos cargos classificados como de nível 1 (equivalente a ministro) e 44,2% nos cargos de nível 4 (diretor). No Brasil, embora as mulheres, de acordo com o Atlas do Estado brasileiro, produzido pelo Ipea, sejam quase 59% dos servidores, são apenas 18,6% nos cargos de liderança, nos quatro níveis, conforme o relatório do BID. Separando pelos níveis estudados, em 2022 elas eram 19,3% no nível 4, 22,1% no nível 3 (subsecretária) e 9,1% no nível 2 (secretária).

 

[…]

 

‘A péssima posição do Brasil não surpreende. Também está entre os países mais mal avaliados da América Latina no que diz respeito aos direitos políticos das mulheres e à paridade política entre homens e mulheres. Até 2006, nem sequer dispunha de legislação específica sobre violência contra a mulher, ao passo que 17 países da região já legislavam sobre o tema’, afirma a economista Daniela Verzola Vaz, da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

 

‘Há pouco reconhecimento de que a desigualdade de gênero seja um problema no setor público brasileiro e, como consequência, existem poucas políticas públicas a respeito’, observa. Vaz acrescenta que, nos cargos em comissão do grupo Direção e Assessoramento Superiores (DAS) do Poder Executivo federal, a proporção de mulheres no nível 6, mais alto na hierarquia, era de 22% no final do ano passado. ‘Esse percentual pouco avançou na última década: estava em 20,9% em novembro de 2009’, diz”.

 

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/mulheres-enfrentam-barreiras-para-a-ascensao-no-servico-publico-brasileiro/. Acesso em: 6 abr. 2023.

 

Nesta Atividade de Estudo 1, você é convidado(a) a relacionar o texto anterior com a sua experiência cotidiana, levando em consideração a importância de um Gestor Público estudar a trajetória da sociedade até os dias atuais e entender alguns padrões de desigualdades para, assim, desenvolver políticas públicas atentas ao contexto social. Para tanto, responda:

 

  1. Defina o que é hipótese. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, cinco linhas.

 

  1. Desenvolva uma hipótese que possa, de alguma forma, explicar os dados discutidos no texto anterior de que, no Brasil, embora as mulheres sejam quase 59% dos servidores públicos, elas estão em apenas 18,6% dos cargos de liderança. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, quinze linhas.

 

Observação: para esta atividade, você pode ir além do texto anterior, relacionando-o com leituras de jornais e revistas, além do material didático.

 

ATENÇÃO: para responder a Atividade de Estudo 1, orientamos que digite a sua resposta, primeiramente, em um arquivo WORD, em seu computador — pois, caso digite direto na caixa de texto no ambiente Studeo, pode acontecer de expirar o tempo e perder sua resposta —, depois disso, copie sua resposta e cole na caixa de resposta a seguir.

A proposta da Atividade de Estudo 1 é discutir a relação entre Metodologias de Pesquisa e o desenvolvimento de explicações e abordagens para problemas sociais, pois, uma vez identificado um problema, é necessário pensar em caminhos para abordá-lo buscando a melhora de um contexto social e a promoção de justiça e equidade.

ATIVIDADE 1 – GPUB – MÉTODOS DE PESQUISA APLICADOS À GESTÃO PÚBLICA – 52_2024

 

A proposta da Atividade de Estudo 1 é discutir a relação entre Metodologias de Pesquisa e o desenvolvimento de explicações e abordagens para problemas sociais, pois, uma vez identificado um problema, é necessário pensar em caminhos para abordá-lo buscando a melhora de um contexto social e a promoção de justiça e equidade.

 

Nesse sentido, a metodologia de pesquisa é uma ferramenta fundamental para o Gestor Público. Assim, leia com atenção os trechos retirados do texto “Mulheres Enfrentam Barreiras para a Ascensão no Serviço Público Brasileiro”, publicado na Revista FAPESP, em março de 2023, por Diego Viana, e disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/mulheres-enfrentam-barreiras-para-a-ascensao-no-servico-publico-brasileiro/.

 

“Embora já correspondam a mais de metade da força de trabalho na burocracia brasileira (59%), as mulheres ocupam menos de 20% dos cargos de direção. O número, divulgado em dezembro no estudo “Mulheres líderes no setor público da América Latina e do Caribe”, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), coloca o país em posição inferior à da maioria dos vizinhos na região. Países como Argentina (40,7%), Colômbia (47,1%) e Costa Rica (53,5%) caminham, pelo menos à primeira vista, para a paridade de gênero no setor público.

 

Os dados revelam o quanto o fenômeno conhecido como “teto de vidro” ainda impõe barreiras à ascensão profissional para lideranças femininas no continente, barreiras ainda mais difíceis de transpor para as negras. A metáfora do teto de vidro foi cunhada em 1978 pela consultora norte-americana Marylin Loden (1946-2022) para se referir ao setor privado, denunciando os obstáculos muitas vezes invisíveis que impedem a ascensão das mulheres aos cargos mais altos. Mas o teto também cobre a cabeça das profissionais da administração pública.

 

O relatório aponta que as mulheres compõem 52% do funcionalismo dos países estudados. No entanto, são apenas 23,6% nos cargos classificados como de nível 1 (equivalente a ministro) e 44,2% nos cargos de nível 4 (diretor). No Brasil, embora as mulheres, de acordo com o Atlas do Estado brasileiro, produzido pelo Ipea, sejam quase 59% dos servidores, são apenas 18,6% nos cargos de liderança, nos quatro níveis, conforme o relatório do BID. Separando pelos níveis estudados, em 2022 elas eram 19,3% no nível 4, 22,1% no nível 3 (subsecretária) e 9,1% no nível 2 (secretária).

 

[…]

 

‘A péssima posição do Brasil não surpreende. Também está entre os países mais mal avaliados da América Latina no que diz respeito aos direitos políticos das mulheres e à paridade política entre homens e mulheres. Até 2006, nem sequer dispunha de legislação específica sobre violência contra a mulher, ao passo que 17 países da região já legislavam sobre o tema’, afirma a economista Daniela Verzola Vaz, da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

 

‘Há pouco reconhecimento de que a desigualdade de gênero seja um problema no setor público brasileiro e, como consequência, existem poucas políticas públicas a respeito’, observa. Vaz acrescenta que, nos cargos em comissão do grupo Direção e Assessoramento Superiores (DAS) do Poder Executivo federal, a proporção de mulheres no nível 6, mais alto na hierarquia, era de 22% no final do ano passado. ‘Esse percentual pouco avançou na última década: estava em 20,9% em novembro de 2009’, diz”.

 

Fonte: https://revistapesquisa.fapesp.br/mulheres-enfrentam-barreiras-para-a-ascensao-no-servico-publico-brasileiro/. Acesso em: 6 abr. 2023.

 

Nesta Atividade de Estudo 1, você é convidado(a) a relacionar o texto anterior com a sua experiência cotidiana, levando em consideração a importância de um Gestor Público estudar a trajetória da sociedade até os dias atuais e entender alguns padrões de desigualdades para, assim, desenvolver políticas públicas atentas ao contexto social. Para tanto, responda:

 

  1. Defina o que é hipótese. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, cinco linhas.

 

  1. Desenvolva uma hipótese que possa, de alguma forma, explicar os dados discutidos no texto anterior de que, no Brasil, embora as mulheres sejam quase 59% dos servidores públicos, elas estão em apenas 18,6% dos cargos de liderança. Sua resposta deve conter, no mínimo, três e, no máximo, quinze linhas.

 

Observação: para esta atividade, você pode ir além do texto anterior, relacionando-o com leituras de jornais e revistas, além do material didático.

 

ATENÇÃO: para responder a Atividade de Estudo 1, orientamos que digite a sua resposta, primeiramente, em um arquivo WORD, em seu computador — pois, caso digite direto na caixa de texto no ambiente Studeo, pode acontecer de expirar o tempo e perder sua resposta —, depois disso, copie sua resposta e cole na caixa de resposta a seguir.

 

ATIVIDADE: Mediante a contextualização apresentada sobre o Ciclo Orçamentário, convidamos você a se aprofundar no assunto e, assim, elaborar um texto dissertativo que deverá conter os tópicos a seguir: – Uma explanação sobre Ciclo Orçamentário. – Por que o atendimento de todas as etapas do Ciclo se faz necessário em uma relação com a Lei de Responsabilidade Fiscal? (Seu texto deve conter no mínimo sete (7) e no máximo quinze (15) linhas).

ATIVIDADE:

 

Mediante a contextualização apresentada sobre o Ciclo Orçamentário, convidamos você a se aprofundar no assunto e, assim, elaborar um texto dissertativo que deverá conter os tópicos a seguir:

 

– Uma explanação sobre Ciclo Orçamentário.

– Por que o atendimento de todas as etapas do Ciclo se faz necessário em uma relação com a Lei de Responsabilidade Fiscal?

(Seu texto deve conter no mínimo sete (7) e no máximo quinze (15) linhas).

 

ATENÇÃO!

Para responder à Atividade de Estudo 1, orientamos que digite a sua resposta primeiramente em um arquivo Word, em seu computador (pois, caso digite direto na caixa de texto, no ambiente Studeo, o tempo pode expirar e você perder a sua resposta). Depois disso, copie sua resposta e cole na caixa de resposta a seguir.

 

A participação ativa dos cidadãos nesse processo também é fundamental. A sociedade deve estar informada sobre as prioridades e os investimentos realizados pelo poder público, contribuindo para uma gestão mais eficiente e responsável.

A participação ativa dos cidadãos nesse processo também é fundamental. A sociedade deve estar informada sobre as prioridades e os investimentos realizados pelo poder público, contribuindo para uma gestão mais eficiente e responsável.

 

Fonte: CAVASSANI, B. F. Contabilidade Aplicada ao Setor Público. Maringa-Pr.:Unicesumar, 2020.

 

ATIVIDADE:

 

Mediante a contextualização apresentada sobre o Ciclo Orçamentário, convidamos você a se aprofundar no assunto e, assim, elaborar um texto dissertativo que deverá conter os tópicos a seguir:

 

– Uma explanação sobre Ciclo Orçamentário.

– Por que o atendimento de todas as etapas do Ciclo se faz necessário em uma relação com a Lei de Responsabilidade Fiscal?

(Seu texto deve conter no mínimo sete (7) e no máximo quinze (15) linhas).

 

ATENÇÃO!

Para responder à Atividade de Estudo 1, orientamos que digite a sua resposta primeiramente em um arquivo Word, em seu computador (pois, caso digite direto na caixa de texto, no ambiente Studeo, o tempo pode expirar e você perder a sua resposta). Depois disso, copie sua resposta e cole na caixa de resposta a seguir.

 

Portanto, é essencial que os candidatos e eleitos nas eleições municipais estejam cientes das etapas do Ciclo Orçamentário, incluindo a elaboração do Plano Plurianual (PPA), a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e o Orçamento Anual (LOA). Além disso, devem compreender como ocorre a execução orçamentária, o acompanhamento dos gastos e a prestação de contas à sociedade.

 

Portanto, é essencial que os candidatos e eleitos nas eleições municipais estejam cientes das etapas do Ciclo Orçamentário, incluindo a elaboração do Plano Plurianual (PPA), a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e o Orçamento Anual (LOA). Além disso, devem compreender como ocorre a execução orçamentária, o acompanhamento dos gastos e a prestação de contas à sociedade.

 

A participação ativa dos cidadãos nesse processo também é fundamental. A sociedade deve estar informada sobre as prioridades e os investimentos realizados pelo poder público, contribuindo para uma gestão mais eficiente e responsável.

 

Fonte: CAVASSANI, B. F. Contabilidade Aplicada ao Setor Público. Maringa-Pr.:Unicesumar, 2020.

 

ATIVIDADE:

 

Mediante a contextualização apresentada sobre o Ciclo Orçamentário, convidamos você a se aprofundar no assunto e, assim, elaborar um texto dissertativo que deverá conter os tópicos a seguir:

 

– Uma explanação sobre Ciclo Orçamentário.

– Por que o atendimento de todas as etapas do Ciclo se faz necessário em uma relação com a Lei de Responsabilidade Fiscal?

(Seu texto deve conter no mínimo sete (7) e no máximo quinze (15) linhas).

 

ATENÇÃO!

Para responder à Atividade de Estudo 1, orientamos que digite a sua resposta primeiramente em um arquivo Word, em seu computador (pois, caso digite direto na caixa de texto, no ambiente Studeo, o tempo pode expirar e você perder a sua resposta). Depois disso, copie sua resposta e cole na caixa de resposta a seguir.

 

Para desempenhar suas funções com eficiência, é fundamental que esses gestores compreendam o funcionamento do Ciclo Orçamentário. Isso envolve o processo de planejamento, execução, controle e avaliação dos recursos públicos, garantindo que sejam utilizados de forma transparente e eficaz para o benefício da população.

 

Para desempenhar suas funções com eficiência, é fundamental que esses gestores compreendam o funcionamento do Ciclo Orçamentário. Isso envolve o processo de planejamento, execução, controle e avaliação dos recursos públicos, garantindo que sejam utilizados de forma transparente e eficaz para o benefício da população.

 

Etapas do Ciclo Orçamentário:

Fonte: CAVASSANI, B. F. Contabilidade Aplicada ao Setor Público. Maringa-Pr.:Unicesumar, 2020, p. 63.

 

Portanto, é essencial que os candidatos e eleitos nas eleições municipais estejam cientes das etapas do Ciclo Orçamentário, incluindo a elaboração do Plano Plurianual (PPA), a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e o Orçamento Anual (LOA). Além disso, devem compreender como ocorre a execução orçamentária, o acompanhamento dos gastos e a prestação de contas à sociedade.

 

A participação ativa dos cidadãos nesse processo também é fundamental. A sociedade deve estar informada sobre as prioridades e os investimentos realizados pelo poder público, contribuindo para uma gestão mais eficiente e responsável.

 

Fonte: CAVASSANI, B. F. Contabilidade Aplicada ao Setor Público. Maringa-Pr.:Unicesumar, 2020.

 

ATIVIDADE:

 

Mediante a contextualização apresentada sobre o Ciclo Orçamentário, convidamos você a se aprofundar no assunto e, assim, elaborar um texto dissertativo que deverá conter os tópicos a seguir:

 

– Uma explanação sobre Ciclo Orçamentário.

– Por que o atendimento de todas as etapas do Ciclo se faz necessário em uma relação com a Lei de Responsabilidade Fiscal?

(Seu texto deve conter no mínimo sete (7) e no máximo quinze (15) linhas).

 

ATENÇÃO!

Para responder à Atividade de Estudo 1, orientamos que digite a sua resposta primeiramente em um arquivo Word, em seu computador (pois, caso digite direto na caixa de texto, no ambiente Studeo, o tempo pode expirar e você perder a sua resposta). Depois disso, copie sua resposta e cole na caixa de resposta a seguir.

Home
Minha Conta
Carrinho
Downloads